Equipe do Geopark Corumbataí realiza visita técnica a geossítios

Grupo passa por trecho de alto risco em trilha para visita à geossítio no município de Ipeúna. Foto: Kolya AA 2019.
Grupo passa por trecho de alto risco em trilha para visita à geossítio no município de Ipeúna. Foto: Kolya AA 2019.

Visita técnica permitiu uma melhor compreensão do panorama da Geodiversidade da região, bem como o alinhamento de estratégias do Projeto Geopark Corumbataí.

Neste final de semana, 10 de maio, uma equipe de 10 pesquisadores do Projeto Geopark Corumbataí percorreu trecho da Serra de Itaqueri para uma visita técnica a geossítios.

O grupo reuniu discentes e docentes das universidades Unesp Rio Claro e Unicamp Limeira. Para alguns do grupo, foi o primeiro contato com alguns elementos do geopatrimônio, como cavidades naturais.

A Cachoeira da Saltão, em Itirapina, foi um dos pontos visitados pela equipe. O paredão rochoso no qual a cachoeira se desenvolve, é composto por rochas formadas por lava solidificada há mais de 100 milhões de anos. Foto: Kolya AA 2019.
A Cachoeira da Saltão, em Itirapina, foi um dos pontos visitados pela equipe. O paredão rochoso no qual a cachoeira se desenvolve, é composto por rochas formadas por lava solidificada há mais de 100 milhões de anos. Foto: Kolya AA 2019.

O objetivo da atividade foi apresentar o panorama da Geodiversidade da região a toda a equipe. Além disso, aproveitou-se a oportunidade para alinhar as diversas estratégias de Geoconservação adotadas no âmbito do Projeto.

Os geossítios visitados estão localizados nos municípios de Ipeúna e Itirapina. O grupo conheceu mirantes, cavidades naturais, cachoeiras e outros patrimônios culturais ligados à geodiversidade. Um dos destaques da visita foi conhecer a formação rochosa que serve como reservatório da água do Sistema Aquífero Guarani.

Pesquisadores observam afloramento de rochas areníticas da Formação Botucatu, onde os poros existentes no arenito servem como reservatório para a água do Sistema Aquífero Guarani, que abastece diversas cidades no estado de São Paulo. Foto: Kolya AA 2019.
Pesquisadores observam afloramento de rochas areniticas da Formação Botucatu, onde os poros existentes no arenito servem como reservatório para a água do Sistema Aquífero Guarani, que abastece diversas cidades no estado de São Paulo. Foto: Kolya AA 2019.

A partir da visita, todo o grupo pode compreender melhor a relevância do geopatrimônio da região da Bacia do Corumbataí. Dessa forma, foi concluído que o território do Projeto Geopark é representativo da Geodiversidade do contexto regional.

Para mais fotos do Projeto Geopark Corumbataí, acesse nosso Instagram: @geopark_corumbatai

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: