Unesp publica relatório para apoiar proteção de geossítio ameaçado por barragem

No início de 2022 a TV Claret, rede de comunicação da região de Rio Claro, publicou reportagem divulgando problemas e inconsistências no projeto de construção de uma barragem de água entre os municípios de Ipeúna e Rio Claro.

Reportagem da TV Claret sobre a importância do local que seria inundado pela barragem.

Segundo pesquisadores da Unesp ouvidos na matéria, o local escolhido para a barragem envolveria a inundação de um Geossítio do Projeto Geoparque Corumbataí e de um dos mais importantes sítios arqueológicos do Brasil, o sítio Alice Boer. Os técnicos apontaram também algumas lacunas no Estudo Preliminar que propôs aquele local para o reservatório de água e também identificaram problemas na forma como o projeto foi divulgado.

Vista aérea de parte da área que seria inundada pelo barramento. Foto de Kedma Grella.

Com a repercussão da reportagem, a comunidade local se organizou em um Grupo de Trabalho para discutir e reunir informações técnicas sobre o projeto. Uma das ações do Grupo de Trabalho foi propor uma representação junto à Promotoria de Justiça e Meio Ambiente de Rio Claro para que o órgão acompanhe o caso.

Dessa forma, atendendo a solicitação da Promotoria, a equipe de pesquisadores da Unesp elaborou um Relatório Técnico descrevendo os pontos de atenção identificados no Estudo Preliminar que propôs a construção da barragem e na divulgação da obra.

Mapa indicando a região que seria inundada pela construção da barragem.

Além de identificar problemas, o relatório, disponível para download no link abaixo, também apresenta alternativas e soluções inovadoras para garantir água em quantidade e qualidade para toda a população. Dessa forma, a equipe da Unesp espera contribuir com o acompanhamento do Ministério Público e com o desenvolvimento regional aliado à conservação cultural e natural.

A Unesp continuará trabalhando para acompanhar o caso e, sempre que necessário, atualizando os estudos sobre a relevância do patrimônio cultural e natural da região, bem como de ferramentas sustentáveis de desenvolvimento regional.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: